Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Outra Menina Bennet

A Outra Menina Bennet

16
Abr18

“Música para Água Ardente”, Charles Bukowski – Sem pudores nem preconceitos

Sofia

“O amor é uma forma de preconceito. Amas o que precisas, amas o que te faz sentir bem, amas o que é conveniente. Como podes dizer que amas uma pessoa quando há dez mil pessoas no mundo que amarias mais se alguma vez as conhecesses? Mas nunca as vais conhecer.”

Musica-Para-Agua-Ardente.jpg

Há algum tempo que me tinha deparado com este livro no goodreads. Soube logo que tinha de o ler. Primeiro, pelo facto de há seculos querer ler algo deste autor, em segundo por causa do título poético. Qual é a poesia ideal para acompanhar água ardente? Digo-vos uma coisa, é esta poesia de Bukowski. Este é o livro ideal para acompanhar um copo de água ardente. Na verdade, este é o livro ideal para acompanhar qualquer coisa. Simplesmente é um livro ideal.

 

Música para Água Ardente reúne mais de uma trintena de contos de Bukowski. Alguns protagonistas repetem-se, outros não. É impossível dar um resumo deste livro porque cada um dos contos que contém é único e individual à sua maneira. A maioria dos contos tem no entanto pontos em comum: escritores em decadência, vidas frustradas, sonhos destruídos, cigarros, álcool, e claro, muitos palavrões.

O anti-herói de Bukowski é qualquer coisa de genial. Chamem-me inocente e ingénua, mas podia apaixonar-me por um destes heróis. Eles são tudo o que eu não sou. São tudo o que nós, que seguimos fielmente as convenções sociais e valorizamos a moralidade, não somos. Isso é apelativo, pelo menos para mim. Sabem que personagem literário e que livro não conseguia deixar de evocar enquanto lia este livro? O meu amado Dean Moriaty de Pela Estrada Fora do meu queridíssimo Jack Kerouac.

Não pude deixar de notar que os contos que constituem este livro devem ter sido escrito por alguém profundamente desiludido com o mundo e com a vida. Os contos são despidos de pudores e preconceitos. São de uma frieza e crueza que por vezes não deixa de chocar. Eu ainda não tinha lido nada assim. Parece-me que foram escritos por alguém obscuro, alucinado, mas encantador ao seu próprio modo.

Sabem outra coisa que também me surpreendeu? Eu sei que em comparação com outros livros que li, este não tem assim tantos anos, porém é do século XX, e o que acontece é que os temas que trata com tanta frieza são atuais. A crítica crua por detrás de todos estes contos aplica-se aos dias de hoje.

Feminismo, aborto, transtornos mentais, problemas de dependência, prostituição, emancipação, igualdade, a vida de poeta, está tudo ali. O autor não deixa nada de fora, e sobretudo não trata nenhum destes temas com delicadeza ou paninhos quentes. Isso foi algo que me agradou, e muito.

Não precisava que me dissessem, mas parece que este livro, tal como os outros livros do autor, possui diversos aspetos autobiográficos. Não sei se já vos aconteceu estarem a ler um livro e pensarem: isto aconteceu mesmo, isto não é mentira, isto não é fantasia. Neste livro, isso acontece a toda a hora. Para mim é um dos seus pontos fortes.

Como já vos disse, este é o primeiro (de muitos) livro que leio de Bukowski, e não podia estar mais bem impressionada. Adorei, adorei, adorei. Estou rendida. Até o uso (excessivo) de palavrões que geralmente me incomoda muito (sou uma menina sensível, okay?) aqui, passou-me totalmente ao lado. Na verdade, e nunca pensei dizer isto, acho que enriquecem a obra. Acho que o choque que provocam, a crueza que dão à obra, já para não falar de que fazem parte do vernáculo dos anti-heróis que aqui encontramos, tornam esta coletânea de contos mais viva, mais rica, e sobretudo mais verdadeira.

Não posso recomendar este livro vezes suficientes. Vocês precisam de o ler. É um livro glorioso. É tão bem conseguido que dói. Tresanda a água ardente e cigarros. Bukowski fez-me lembrar Hemingway e os grandes escritores da geração “beat” como Ginsberg, e claro Kerouac. Se ainda não leram nada de Bukowski este livro parece-me o começo ideal. Se já leram, leiam este também. Leiam, leiam, leiam!

 

Idioma de leitura: Português

 

4/5

 

Mais sobre a Sofia

Estudante de Letras. Romântica Incurável. Perdida algures num sonho. Apaixonada por livros, chá, contos de fadas, tragédias e chuva. Entre Flores & Estrelas.

Segue-me nas redes sociais

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D