Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Outra Menina Bennet

A Outra Menina Bennet

31
Dez17

O meu “Best Of” literário do ano

Sofia

A primeira coisa que vou dizer é que não sei se me estou a lembrar de todos os livros que li este ano. Devem ter sido mais de cem, e é impossível lembrar-me de todos, por isso, este “Best Of” só vai englobar aqueles de que me estou a lembrar enquanto escrevo isto. Além disso, como só comecei este blog no verão, e como não escrevo resenhas de todos os livros que leio, limitando-me a uma resenha por semana, é certo que muitos dos livros (ou quase todos) os que vou mencionar neste post, não se encontram discutidos aqui no “A Outra Menina Bennet”. Vai ser um “Best Of” muito ingrato porque escolher só cinco livros entre mais de cem, não só é injusto, como muito difícil. Porém cá vai ele:

 

5 – O Amor nos Tempos de Cólera, Gabriel Garcia Márquez

Uma história de amor, e sobretudo uma história de devoção e paciência. Como romântica incurável que sou, este livro não podia ficar de fora. É bonito, é trágico, é mágico.

4- Cem Anos de Solidão, Gabriel Garcia Márquez

O mesmo autor, uma história diferente. Um dos melhores livros fantasiosos do absurdo que já li. Muito bom, foi fácil de ler e difícil de largar.

3- 1984, George Orwell

Um livro lido por obrigação transformou-se num dos melhores livros que li na minha vida. Orwell é um mestre e esta, na minha opinião, é sua obra-prima.

2- O Estrangeiro, Albert Camus

Foi-me recomendado por uma pessoa muito importante para mim, e por isso esta classificação podia ser tendenciosa mas não é. A par de Cem Anos de Solidão de Márquez e de A Metamorforse de Kafka, foi o meu livro preferido no que toca a fantasia do absurdo do ano. É também atualmente o meu preferido do género.

1- Admirável Mundo Novo, Aldus Huxley

Outro livro que li “por obrigação”. Foi inquestionavelmente o livro que mais gostei este ano. Foi também um dos que mais gostei de ler de sempre. É tão prefeito. É o tipo de livro que quero que toda a gente leia, mas que ao mesmo tempo quero guardar só para mim. Com vocês, partilho.

 

Menção Honrosa: Eu Dou-te o Sol

Mil e um livros ficaram de fora e só posso escolher um para a menção honrosa. Este foi o meu livro “leve” preferido do ano. É provavelmente um dos meus livros “leves” preferidos de sempre. É aquele livro que está classificado como sendo para jovens adultos mas que toda a gente tem de ler.

Ficaram de fora cem livros, aposto. Aposto também que não me lembrei nem de metade dos que li. De fora, com muita pena minha, ficaram livros com Mataram a Cotovia, O Deus das Moscas, Fala-me de um Dia Perfeito, Capitães da Areia, A Metamorfose ou a saga Crónicas de Gelo e Fogo. São os sacrificos de quem tem uma estante de luxo! Tal como disse, um “Best Of” é sempre ingrato, injusto, e difícil.

O ano de 2017 foi muito bom no que toca a leituras, e tudo o que posso desejar para mim e para si que está a ler isto para 2018, são mais histórias, mais livros, mais magia.

Encontramo-nos em 2018.

 

A Outra Menina Bennet.

 

Mais sobre a Sofia

Estudante de Letras. Romântica Incurável. Perdida algures num sonho. Apaixonada por livros, chá, contos de fadas, tragédias e chuva. Entre Flores & Estrelas.

Segue-me nas redes sociais

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D