Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Outra Menina Bennet

A Outra Menina Bennet

01
Out18

“O Sol e as suas Flores”, Rupi Kaur – esta nova era da poesia moderna

Sofia

“o sol não consegue impedir a tempestade de chegar”

1540-1.jpg

Como vocês sabem (porque eu fiz a review aqui no blog), no verão passado tive a oportunidade de ler a primeira coleção de poesia de Rupi Kaur - milk and honey (Leite e Mel na tradução em Portugal). Lembro-me de na altura ter ficado bastante bem impressionada com esse livro, embora depois tenha chegado à conclusão de que afinal não era nada de tão extraordinário. Ainda assim, quando soube que a autora tinha lançado outra coleção, soube que queria ler.

 

Tal como o livro que publicou anteriormente, O Sol e as suas Flores é, como vos disse, uma coleção de poesia. Quer dizer, eu tenho dificuldades em chamar-lhe poesia, mas sigo aquilo que usaram para a descrever. Tem exatamente a mesma estrutura da coleção anterior. Está dividido em 5 partes (milk and honey só estava em 4), e cada uma destas partes tem um tema diferente sobre o qual a autora escreve os tais “poemas”, que são frequentemente pequenas frases (ás vezes só uma), sem nenhuma rima ou preocupação com maiúsculas. Além disso, tal como o anterior, conta com ilustrações em alguns “poemas”, levadas a cabo pela própria autora.

É assim, está claro que eu não desgostei do livro, porém não é tão bom como dizem, pelo menos na minha opinião. Os temas dos “poemas” são básicos, muito “lugar-comum”, muito clichês, claramente escritos com o objetivo de agradar a uma parte da população feminina, e sem mais nenhuma preocupação que essa. Pessoalmente, Kaur esforçou-se demasiado, no mau sentido.

Além disso, não se nota absolutamente nenhuma evolução relativamente ao livro anterior, muito pelo contrário. Acho esta coleção francamente inferior a milk and honey (que hoje vejo que não era tão boa como eu achei na altura), e acho que isso se deve a algo muito simples: ao menos, milk and honey era espontâneo, notava-se uma certa ingenuidade literária de quem não tem a certeza se está a fazer algo bem. Além disso, os “poemas” dessa coleção pareceram-me muito mais sinceros. Os presentes nesta foram, na minha opinião, só escritos com o intuito de agradar. Como se não bastasse, a autora saiu muito do tema da coleção anterior que a tinha popularizado. O amor já não é o tema principal neste livro. Também não ajuda em nada o facto de Kaur ter tentado deixar uma marca de opinião politica e social nesta obra. Não funcionou bem. Não é qualquer pessoa que consegue fazer isso. Para além disso, não há sequer o contar de uma história, uma sequência, como em milk and honey.

Enfim. Imensas coisas não me agradaram aqui. Ainda assim, não posso deixar de dizer que alguns destes “poemas” são muito bonitos e valem a pena ler. Como já perceberam, eu tenho dificuldade em chamar a este tipo de estilo “poesia”. Para mim, isto não é poesia. O que como é óbvio não quer dizer que não seja bom. Tal como disse, alguns dos “poemas” são, de facto, bons e agradáveis. Eu teria chamado a isto uma coleção de “reflexões” e não de “poemas”, mas estou preparada para mais uma prevaricação da modernidade, desta feita direcionada à poesia. Eu sinceramente acho que falta entender que só por escrevermos ou pensarmos ou dizermos algo “poético”, isso não faz de nós poetas nem faz do nosso trabalho poesia. Mas o que é que eu sei?

Em suma, não estou arrependida de ter lido este livro. Especialmente porque não perdi muito tempo. 1 hora e estava despachado. No entanto ia sentir-me falsa se o recomendasse, pois para mim não acrescenta absolutamente nada de novo ou significativo. Porém, também não se perde muito. Por isso, se sentirem curiosidade, força! E se lerem, ou leram, digam-me o que acharam!

 

Idioma de leitura: inglês

 

1.5/5

 

Mais sobre a Sofia

Estudante de Letras. Romântica Incurável. Perdida algures num sonho. Apaixonada por livros, chá, contos de fadas, tragédias e chuva. Entre Flores & Estrelas.

Segue-me nas redes sociais

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D