Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Outra Menina Bennet

A Outra Menina Bennet

04
Mai20

“Personae”, Ezra Pound

Sofia

“If so we live and die not life but dreams,

Great God, grant life in dreams,

Not dalliance, but life!”

318JYo44RfL._SX330_BO1,204,203,200_.jpg

Se costumam seguir o blog sabem que é menos comum eu escrever aqui sobre poesia. Geralmente sou mais difícil de cativar em termos de poesia do que de prosa. Também é mais difícil que me consiga concentrar naquilo que estou a ler sob esta forma e, como consequência, torno-me mais seletiva. Mas também é verdade que quando leio poesia, acabo por gostar muito. Na semana que passou tive de ler uns poemas de Ezra Pound e, na verdade, gostei tanto, que acabei a ler esta coleção dele!

 

Personae (1909) reúne alguns dos primeiros poemas que Pound teria escrito. Uma outra versão foi publicada em 1926 com mais poemas e sob o título Personae: The Collected Poems of Ezra Pound. A versão que li e menciono aqui é, todavia, a mais curta e publicada em 1909.

Como é sabido, Ezra Pound foi incrivelmente importante na origem e disseminação dos movimentos literários Modernismo e Imagismo e, nesta coleção, que ainda que reflita o início da sua carreira, já podemos observar algo da relação com esses movimentos. E também alguma da influência de outros autores referidos pela critica na sua obra, como Yeats e Joyce. Além disso, é também notória uma relação com outras obras, movimentos e tradições. Destacaria referências literárias medievais e clássicas, nesse contexto.

Gostava de lembrar que, como quando vos escrevo sobre obras de interpretação filosófica, também quando escrevo sobre poesia não gosto de tecer o mesmo tipo de considerações que teceria em outros casos. Creio genuinamente que, a poesia, como a filosofia, suscita opiniões e interpretações variadas e muito próprias. Não que ache que a prosa não o faz, mas penso que concordamos que o faz de modo diferente. E, por isso, não acho tão adequado nem me sinto tão segura a tecer considerações sobre poesia ou filosofia nos mesmo moldes ou tom.

Portanto, gostaria apenas de e, sublinho, a título pessoal, referir três poemas em específico dos quais gostei particularmente: “Grace Before Song”, “In the Old Age of the Soul” e “Revolt: Against the Crepuscular Spirit in Modern Poetry”. Os versos que citei no início do post são deste último poema que é verdadeiramente lindissímo. É um dos poemas mais bonitos que li nos últimos tempos e, se puderem e quiserem, aconselho-vos a ler. Relembrou-me, mais do que qualquer outro poema da coleção, Yeats, um dos meus poetas preferidos.

Acho que houve poucas palavras que se repetissem mais nesta coleção do que “dreams” e suas variantes. A imagem e o imaginário levantado como consequência foi provavelmente o meu aspeto preferido.

No geral, gostei bastante de Personae. Tirando alguns poemas soltos aqui e ali, não tinha lido na integra nenhuma obra de Ezra Pound, pelo que a minha opinião aqui também é ingénua, mas não me pareceu um mau começo! Não creio que a obra esteja traduzida em português, mas se tiverem interesse e puderem ler em inglês, encontra-se com muita facilidade. Como vos disse, é uma obra muito pequena e, por isso, também acaba por se ler bem. Qual é a vossa opinião sobre o autor ou sobre a obra? Conhecem? Já leram? Gostam de ler poesia, ou preferem prosa?

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre a Sofia

Estudante de Letras. Romântica Incurável. Perdida algures num sonho. Apaixonada por livros, chá, contos de fadas, tragédias e chuva. Entre Flores & Estrelas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D