Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Outra Menina Bennet

A Outra Menina Bennet

15
Fev21

“Poesias Escolhidas”, Sá de Miranda

Sofia

“Comigo me desavim,

sou posto em todo perigo

não posso viver comigo

nem posso fugir de mim.”

Unknown.jpeg

Francisco de Sá de Miranda viveu entre o final do século XV e os meados do século XVI e deixou uma obra literária considerável que influenciou diversos autores — seus contemporâneos e posteriores. Escreveu vilancetes, cantigas, sonetos, tercetos, elegias, éclogas, epístolas, etc e foi particularmente importante na origem do classicismo em Portugal.

 

Este volume sobre o qual escrevo é uma coleção de 19 poemas editada em 1970. Os assuntos dos poemas são vastos e vão desde temas relacionados com a vida interna, com o “eu”, passando por poemas com vertente romântica até chegar a uma Écloga e a três cartas (sob a forma de poema).

Os poemas são muito próximos daqueles que constam em cancioneiros da época e dos estilos mais populares de então. Aliás, alguns dos poemas do autor foram publicados pelo menos num cancioneiro, em 1516, e Sá de Miranda costumava frequentar a corte.

Alguns dos poemas que li nesta coleção relembram-me muito os trabalhos dos trovadores, por exemplo. E também o chamado dolce stil nuovo (muito simplista e sinteticamente, é um estilo associado ao conceito amor cortês e a autores como Dante ou Cavalcanti), âmbito no qual destaco o poema “Quando eu, senhora, em vós os olhos ponho”. Essa influência não parece especialmente inusitada já que o autor terá vivido durante alguns anos em Itália onde contactou com esse novo conceito e ideal cultural, literário e artístico.

Como vos escrevi no início, a influência de Sá de Miranda em outros autores é algo muitas vezes mencionado. Vi destacado, nesse sentido, exemplos da sua influência em Camões, Sena ou Ruy Belo. Não li ainda o suficiente para formar uma opinião sobre isso, mas não tendo a duvidar.

O que sei é que, quando li os três primeiros poemas desta coleção me lembrei imediatamente de Fernando Pessoa. Não pelo estilo, mas pela temática. Por exemplo, o excerto que destaquei no início é do primeiro poema (“Comigo me desavim”) e, penso que, se como eu apreciam a obra de Fernando Pessoa, não deixam de reconhecer a familiaridade do tema. O terceiro poema desta obra (“Toda a esperança é perdida”) foi outro que me relembrou muito os temas que encontramos em Pessoa.

Ainda sobre essa questão, em dezembro li Menina e Moça de Bernardim Ribeiro e, quando lia estes poemas, lembrava-me também dessa obra, embora neste caso, pelo vocabulário, pela ambientação, pelo estilo e pelo modo de considerar o assunto romântico. Porém também isso não é particularmente invulgar, já que os autores foram contemporâneos e, aparentemente, até seriam bastante próximos.

Até ler esta coleção, não tinha tido muito contacto com a poesia de Sá de Miranda, mas depois de a concluir, pensei que tinha de ler mais. Parece-me estranho que não se estude mais este autor na escola, por exemplo. Sobretudo pela qualidade e reflexão que os poemas compreendem e que evidenciam uma personalidade notável — até considerando a época —, mas nem que fosse pela clara importância que teve então e pela influência que parece ter tido em autores que o sucederam, muitos dos quais ainda estudamos e lemos.

Mais sobre a Sofia

Estudante de Letras. Romântica Incurável. Perdida algures num sonho. Apaixonada por livros, chá, contos de fadas, tragédias e chuva. Entre Flores & Estrelas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub