Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Outra Menina Bennet

A Outra Menina Bennet

09
Dez19

“Assim falou Zaratustra”, Friedrich Nietzsche – o desencantamento e a esperança

Sofia

Sou uma floresta e uma noite de escuras árvores: mas aquele que não temer a minha escuridão encontrará rosas debaixo dos meus ciprestes.

Image result for thus spake zarathustra wordsworth classics

Se costumam acompanhar o blog sabem que sou uma grande fã de Nietzsche. Escrevi algumas reviews de obras dele aqui e não me canso de as ler. Estranhamente, fui deixando de lado Assim falou Zaratustra. A nossa tradução portuguesa, pelo que sei, está esgotada e, como infelizmente não consigo ler em alemão, só me restava ler noutro idioma. Enfim, estou satisfeita por finalmente ter conseguido. Há muito que o queria fazer.

 

 

18
Nov19

“Cândido ou o Otimismo”, Voltaire – não faz mal se estiver tudo mal

Sofia

Otimismo? O que é isso? – perguntou Cacambo.

É a mania de defender que tudo está bem quando tudo está mal. – respondeu Cândido.

transferir.jpg

Este livro representa uma rara exceção na minha lista. Não fui eu que o escolhi, foi-me recomendado por colegas. Claro que eu, uma pessoa tão esquisita, não leria um livro só por recomendação. Confesso que gosto bastante de Voltaire. Ainda assim, fico sempre feliz quando leio algo porque alguém me diz que devia ler. Demonstra que me conhecem bem. E, se eu gosto da obra, fico ainda mais feliz porque descobri um novo livro.

22
Jul19

“O Processo”, Franz Kafka - haverá algo mais claustrofóbico do que ler Kafka?

Sofia

“A lógica é de facto inabalável, mas não resiste a um homem que quer viver. Onde estava o juiz que ele nunca vira? Onde estava o alto tribunal a que nunca chegara?”

UNADJUSTEDNONRAW_thumb_f70.jpg

Começo por vos dizer que este post foi um dos que demorei mais a escrever e que este livro é um sobre o qual me custa um bocadinho falar. Há uns anos li A Metamorfose e fiquei a admirar muito Kafka. Investiguei sobre o autor, li contos e ensaios, até fui a colóquio sobre o tema. É estranho pensar que, apesar disso, ainda não tinha lido O Processo, que é só um marco na literatura e na filosofia e, provavelmente, a obra mais completa e importante deste autor. Todavia, para mim, não é estranho de todo. E vou tentar explicar porquê. 

20
Mai19

“A República”, Platão – é tudo muito maravilhoso, mas eu não vivia aqui

Sofia

“Se acreditarem em mim, crendo que a alma é imortal e capaz de suportar todos os males e todos os bens, seguiremos sempre o caminho para o alto, e praticaremos por todas as formas a justiça com sabedoria, a fim de sermos caros a nós mesmos e aos deuses, enquanto permanecermos aqui; e, depois de termos ganho os prémios da justiça, como os vencedores dos jogos que andam em volta a recolher as prendas das multidões, tanto aqui como na viagem de mil anos que descrevemos, havemos de ser felizes.”

22880275356.jpg

Eu costumo referir sempre no início de um novo post o porquê de ter escolhido ler a obra da qual estou a escrever a review. Desta vez não o vou fazer. Porém, posso dizer que já tinha vontade de ler esta obra há um tempo, de maneira que fiquei feliz de finalmente ter tido oportunidade, independentemente de outras razões.

 

13
Mai19

“O Príncipe”, Maquiavel – porquê ‘maquiavélico’?

Sofia

“Todos veem aquilo que aparentas ser, poucos experienciam aquilo que realmente és”

91-401-large_leohite.jpg

Há um bom tempo que queria ler O Príncipe, mais devido “ao que diz” do que propriamente ao conteúdo, se é que me faço entender. Da mesma maneira, sempre quis ler algo de Maquiavel. A oportunidade nunca tinha surgido até recentemente me ter deparado com a obra totalmente ao acaso e ter dito para comigo mesma “porque não agora”?

 

 

22
Abr19

“Uma Investigação Filosófica Acerca da Origem das Nossas Ideias do Sublime e do Belo”, Edmund Burke – tudo o que precisamos de saber sobre estética e gosto

Sofia

“É a nossa ignorância em relação às coisas que causa toda a nossa admiração e principalmente que impulsiona as nossas paixões.”

617BqMTovsL.jpg

Acho que toda a gente já ouviu falar deste livro, nem que tenha sido “por alto”, como se costuma dizer. Confesso que até agora ainda não tinha lido devido à popularidade da exposição feita. Penso que as ideias debatidas já estão tão divulgadas (pelo menos na minha área) que uma pessoa vai sempre adiando a leitura. Mas chegou finalmente a altura!

 

 

18
Mar19

“O Anticristo”, Friedrich Nietzsche – talvez um dia

Sofia

“Os fanáticos são pitorescos, a humanidade gosta mais de ver gestos do que ouvir razões."

O-Anticristo.jpg

Bem, já sei. Cada vez que falo aqui de obras filosóficas é quase sempre do mesmo autor. Mas o que fazer? Nietzsche é o meu preferido e estou determinada e concluir em breve a leitura de todas as obras que escreveu. Além disso, contínuo a achar que ele é o autor de uma das filosofias mais importantes e intemporais. E O Anticristo estava em promoção!  

 

 

11
Fev19

“Consolação da Filosofia", Boécio - e a arte?

Sofia

“Contemplai a extensão do céu, a sua estabilidade e célere movimento, e de uma vez por todas deixai de admirar coisas vis. E o céu não é mais admirável, em boa verdade, do que a ordem com que é governado. Como é arrebatadora a magnificência da sua beleza, como é veloz e mais fugaz do que a mutabilidade das flores primaveris.”

Consolacao-da-Filosofia.jpg

Quando comecei a ler este livro não tinha expectativas por aí além. Até porque não foi um livro que eu tivesse decidido ler. Porém, assim que iniciei a leitura percebi que estava perante algo extremamente belo. Acabei por o ler num instante e estou super agradada com o facto de esta leitura se ter proporcionado. 

 

 

26
Dez18

“O Crepúsculo dos Ídolos”, Friedrich Nietzsche – a contestação de todas as verdades pelo ‘mestre do Eterno Retorno’

Sofia

“Os grandes homens são necessários, a época em que aparecem é fortuita; se quase sempre se tornam dela senhores deve-se unicamente ao facto de serem mais fortes, mais antigos, de por mais tempo terem acumulado forças.”

250x.jpg

Esta não é a primeira vez que faço aqui uma review de uma obra de Nietzsche. Como é óbvio, também não será a última. A verdade é que eu não tinha decidido que queria ler esta obra em particular. Até porque ainda não tinha percebido que já tinha sido traduzida (foi algo recente). No entanto vi à venda e não resisti, claro.

 

 

10
Dez18

“O Mito de Sísifo”, Albert Camus – um marco no existencialismo e absurdo

Sofia

“A partir do momento em que foi descoberto, o absurdo é uma paixão, a mais lancinante de todas. Mas o problema está em saber se podemos viver com as nossas paixões, se podemos aceitar a sua lei profunda, que é a de queimar o coração que elas ao mesmo tempo exaltam.”

250x.jpg

­A minha história com este autor e as suas obras é tão estranha, louca e bizarra, que nem vou por aí. Prosseguindo: da primeira vez que li algo deste autor, foi O Estrangeiro (do qual falei aqui no blog) e do qual gostei imenso. Gostei ao ponto de querer ler mais de Camus. Porém, não o suficiente para ir logo a correr ler tudo. O Mito de Sísifo veio mesmo um bocado “por acaso”.

 

 

Mais sobre a Sofia

Estudante de Letras. Romântica Incurável. Perdida algures num sonho. Apaixonada por livros, chá, contos de fadas, tragédias e chuva. Entre Flores & Estrelas.

Segue-me nas redes sociais

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D