Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Outra Menina Bennet

A Outra Menina Bennet

16
Nov20

“As Flores do Mal”, Charles Baudelaire

Sofia

A mão do diabo coordena todos os nossos movimentos —

As coisas que detestamos tornam-se as coisas que amamos;

A cada dia caímos por sombras fétidas

Bastante implacáveis na nossa descida ao Inferno.

9782070466658_large.jpgTinha As Flores do Mal lá por casa há bastante tempo para ler e nunca me convencia a fazê-lo. Agora que estamos quase no fim do ano e já não tenho assim tantos livros por lá perdidos, decidi que tinha de ser. Não costumo ler muito poesia, confesso, e, geralmente, quando leio são sempre obras que sei que tenho mesmo de ler. O que, na maioria das vezes, acaba por funcionar muito mal, já que escolho obras mais complexas e que — talvez por não estar tão habituada ao estilo —, se tornam ainda mais difíceis.

 

 

09
Nov20

“Belos e Malditos”, F. Scott Fitzgerald

Sofia

Indiferentemente, Anthony deixou-se cair numa cadeira, a sua mente estava cansada — cansada de nada, cansada de tudo, com o peso do mundo que ele nunca escolhera suportar.

The Beautiful and Damned: Amazon.co.uk: Fitzgerald, F. Scott:  9781509857654: Books

Belos e Malditos era a última obra que me faltava ler de F. Scott Fitzgerald. Este ano escrevi aqui sobre Tender Is the Night e sobre This Side of Paradise, das quais gostei muito.The Great Gatsby li quando era muito mais nova e que continua a ser uma das minha obras predilectas. Faltava só mesmo The Beautiful and Damned ou, como na tradução portuguesa, Belos e Malditos.

 

 

02
Nov20

“O General no seu Labirinto”, Gabriel García Márquez

Sofia

Como sairei alguma vez deste labirinto?

51CW+aaRSkL._SX327_BO1,204,203,200_.jpg

Esta foi provavelmente uma das leituras que mais fui adiando. O General no seu Labirinto era um dos livros que estava na minha lista para ler há mais tempo. Gosto muito do autor e, de todas as obras que li dele até agora, não houve uma que não me tivesse cativado e fascinado. Gosto muito do seu estilo. Há uns tempos descobri esta obra e quis ler por, realmente, se basear numa personalidade histórica real. Queria ver o que faria o autor, com o seu estilo, com algo deste género, real.

 

26
Out20

“A Tempestade”, William Shakespeare

Sofia

O que é passado, é prólogo.

The Tempest by William Shakespeare (Paperback, 1994)

Se costumam acompanhar o blog, já certamente notaram que gosto muito da obra de Shakespeare. Deve certamente ser o autor que mais repito aqui no blog. Aqui e ali vou-me lembrando e vou lendo mais uma peça e nunca deixo de me surpreender por ainda não ter não ter esgotado as opções! Ainda há não muitas semanas escrevi-vos sobre Otelo, agora a minha escolha foi A Tempestade.

 

 

19
Out20

"Tess dos D’Ubervilles", Thomas Hardy

Sofia

Porque é que não me disseste que existia perigo? Porque é que não me avisaste? As senhoras sabem contra o que se devem guardar, porque leem romances que lhes falam destes truques; mas eu nunca tive a oportunidade de o descobrir desse modo; e tu não me ajudaste!

Tess of the D'Urbervilles (Penguin Classics): Hardy, Thomas, Dolin, Tim,  Dolin, Tim, Higonnet, Margaret Randolph: 9780141439594: Amazon.com: Books

 

Tess dos D’Ubervilles é primeiro livro que li de Thomas Hardy. E, em boa verdade, foi mesmo por querer ler algo deste autor que decidi ler este livro. Além disso, a minha escolha deveu-se à clara popularidade da obra. Tenho lido muito sobre ela e a curiosidade fala sempre muito alto (pelo menos no meu caso).

 

 

12
Out20

As Mil e Uma Noites

Sofia

Que espantoso este pássaro, ontem voava ao mesmo passo com que eu corria, e hoje que estou cansado, voa ao passo lento com que caminho. Que coisa espantosa!

As Mil e Uma Noites - Livro - WOOK

As Mil e Uma Noites é uma daquelas obras que sempre quis ler, mas que nunca lia. Essencialmente desculpava-me com três razões: era muito grande, não havia tradução, já sabia do que tratava (pensava eu!). A questão resolveu-se com a nova tradução portuguesa que chegou recentemente em três volumes. Comecei a ler o primeiro no início do ano e acabei de ler o último na semana que passou.

 

 

05
Out20

“Todos os Nomes”, José Saramago

Sofia

A pele é tudo quanto queremos que os outros vejam de nós, por baixo dela nem nós próprios conseguimos saber quem somos.

Todos os nomes - Livro - WOOK

Há uns tempos escrevi aqui sobre uma obra de Saramago e alguém comentou e mencionou Todos os Nomes dizendo que era o seu preferido de entre os de Saramago. Já escrevi aqui que este é um dos meus autores portugueses preferidos e que costumo ler obras dele frequentemente. No geral vou para as mais óbvias, confesso. Todos os Nomes não era uma das quais mais tinha ouvido falar, mas após aquele comentário coloquei na lista e finalmente li.

 

 

28
Set20

“A Leste do Paraíso”, John Steinbeck

Sofia

Apenas temos uma história. Todos os romances, toda a poesia, tudo é construído sob o conflito interminável entre bem e mal. E ocorre-me que o mal deve constantemente repetir-se, ao passo que o bem, que a virtude, é imortal. O vício tem sempre uma cara nova e fresca, enquanto que a virtude é venerável como nada mais no mundo o é.

812SQ6XS5-L.jpg

Há uns meses escrevi-vos sobre as minhas impressões sobre As Vinhas da Ira de John Steinbeck. Na mesma altura comprei A Leste do Paraíso. Antes disso, como vos referi naquela altura, apenas tinha lido, deste autor, O Inverno do Nosso Descontentamento, uma obra da qual gostei especialmente. Em relação a As Vinhas da Ira não senti o mesmo entusiasmo, embora tivesse igualmente gostado. Como resultado destas duas experiência comecei a ler A Leste do Paraíso desprovida de especiais espectativas

21
Set20

“Ethan Frome”, Edith Wharton

Sofia

O regresso à realidade foi tão doloroso quanto o regresso à consciência depois de uma anestesia.

Ethan Frome (Wordsworth Classics): Amazon.co.uk: Wharton, Edith, Knights,  Dr Pamela, Carabine, Dr Keith: 9781840224085: Books

Nunca tinha lido nenhuma obra de Edith Wharton além de A Idade da Inocência, provavelmente um dos meus livros preferidos. Decidi ler Ethan Frome muito por essa razão e, como me deparei há pouquíssimo tempo com a obra, decidi avançar.

 

 

14
Set20

“Finnegans Wake” – James Joyce

Sofia

Conheceste-me uma vez, não me conhecerás duas.

Amazon.com: Finnegans Wake (Wordsworth Classics) (8601200711196): James  Joyce: Books

Já escrevi aqui sobre Ulisses e, nos primeiros meses do ano, sobre Dubliners, ambas obras de James Joyce. Ulisses continua a ser para mim um dos livros mais queridos. Esta semana escrevo-vos sobre Finnegans Wake porque era um dos dois livros que me faltava ler de Joyce. Creio que em breve escreverei sobre o outro – The Portrait of the Artist as a Young Man.

 

 

Mais sobre a Sofia

Estudante de Letras. Romântica Incurável. Perdida algures num sonho. Apaixonada por livros, chá, contos de fadas, tragédias e chuva. Entre Flores & Estrelas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D